28/09/2010

SETE LAGOAS

LICOR DE PEQUI

           

Os licores podem ser os tintos (amarelado) e os alvos (branco transparente), o primeiro produzido com a pólpa amarelada, e o segundo pela infusão (maceração) em longo período de castanhas brancas. Ambos são elaborados pela imersão em álcool de cereais (ou aguardente de boa procedência), por longo período.     Ingredientes:
-1 litro (20) pequis
-1 Garrafa de boa cachaça ou alcool de cereais
-1kg açúcar
-Água
Modo de Preparo:
Colocar as sementes do pequi, descascadas limpas e maduras, junto com a aguardente de boa qualidade, num recipiente grande, um pote de boca larga,por 30 a 40 dias,  até que a cachaça ou alcool de cereais fique da cor dos pequis. Feche bem o recipiente e mantenha em lugar arejado e com luz. Após este período, colocar os pequis que estiveram no pote, a cozinhar na água por uns 30 minutos. Retire- os e coloque o açucar, faça a calda, apure bem o ponto, deixe a calda esfriar e acrescente a aguardente ou alcool anteriormente, preparado  e ja com o sabor do pequi. Misture bem, coloque numa linda garrafa e guarde na geladeira.
Servir geladinho aos seus convidados, eles vão gostar!

Sirva acompanhado de comidas leve pois é uma bebida afrodisíaca.

Não abra em momento algum o recipiente durante aquarentena

RECEITA - DOCE DE LEITE COM PEQUI



"Doce cremoso de Pequi"


Ingredientes:- 1 litro de caroços de pequi
- 2 litros de leite fervido
- Meio quilo de açúcar
- CAnela em pau

-1 pitada de sal


                                      Modo de fazer:
Lavar bem os caroços e cozinhá-los.
Retirar do fogo e deixar escorrer em peneira.
Retirar a polpa com faca ou colher.
Bater no liquidificador com parte do leite. 
Em uma panela junte o restante do leite, o açucar, a canela e uma pitada de sal, colocar a canela e levar ao fogo até apurar o doce.
Se necessário, acrescentar mais leite.
É uma delícia!

26/09/2010

IPÊS DO BRASIL




Contrariando a natureza, as flores do ipê desabrocham em dias secos e cinzentos de inverno. E é assim, antes mesmo do surgimento da nova folhagem, que elas anunciam a proximidade da Primavera.
Encontrado em todas as regiões do Brasil, o ipê sempre chamou a atenção de poetas, escritores e até de políticos. Em 1961, o então presidente Jânio Quadros declarou o pau-brasil a Árvore Nacional e o ipê-amarelo, da espécie Tabebuia vellosoi, a Flor Nacional.
Conhecidos por sua beleza e pela resistência e durabilidade de sua madeira, os ipês foram muito usados na construção de telhados de igrejas dos séculos XVII e XVIII. Se não fosse por eles, muitas teriam se perdido com o tempo. Até hoje a madeira do ipê é muito valorizada, sendo bastante utilizada na construção civil e naval.
Árvore de casca grossa
Ipê é uma palavra de origem tupi, que significa árvore cascuda, e é o nome popular usado para designar um grupo de nove ou dez espécies de árvores com características semelhantes de flores brancas, amarelas, rosas, roxas ou lilás. Os ipês ocorrem principalmente em florestas tropicais, mas também aparecem no cerrado e na caatinga.
Outros usos do ipê
Apesar de sofrer intensa perseguição por parte de madeireiros, o ipê ainda sobrevive graças ao cultivo para fins decorativos. Pelo seu menor porte (alguns ficam entre 10 a 20 metros), os ipês-amarelos são os mais usados na arborização das cidades, proporcionando um bonito contraste, principalmente quando suas flores amarelas caem sobre o asfalto. Encontrar o ipê em seu habitat natural, entretanto, é cada vez mais raro entre a maioria das espécies.
Os ipês também são usados para fins medicinais, embora sem comprovação científica.
A casca da Tabebuia avellanedae, ipê-roxo que ocorre em todo o Brasil, é usada, sob a forma de chá, como diurético e no combate a infecções, ao impetigo, a alguns tipos de câncer, de lupus, doença de Parkinson, psoríase e alergias. Outras espécies, especialmente a T. impetiginosa e a T. serratifolia, possuem propriedades semelhantes e contêm praticamente os mesmos componentes químicos
A Tabeubuia aurea, uma espécie de ipê-amarelo nativa dos cerrados, da caatinga e do Pantanal Mato-Grossense, é muito usada na medicina caseira em algumas regiões do país, principalmente no Nordeste. A entrecasca do caule é empregada no tratamento de gripes e resfriados e a casca, no tratamento de inflamações em geral.

25/09/2010

PASSEIO AO MARANHÃO 2009

PEQUI ÁRVORE PRESERVADA

O Pequizeiro e o Ipê amarelo
O pequi (Caryocar brasiliense; Caryocaraceae) é uma árvore nativa do cerrado brasileiro, possui troncos tortuosos e característicos, cujo fruto, embora muito utilizado na cozinha nordestina, do centro-oeste e norte de Minas Gerais, é considerado tipicamente goiano. 

A linda flor do pequi
Dele é extraído um azeite denominado azeite de pequi.
Seus frutos são também consumidos cozidos, puros ou juntamente com arroz e frango.
Seu caroço é dotado de muitos espinhos, e há necessidade de muito cuidado ao roer o fruto, evitando cravar nele os dentes, o que pode causar sérios ferimentos nas gengivas.

O sabor e o aroma dos frutos são muito marcantes e peculiares. Pode ser conservado tanto em essência quanto em conserva.

O pequizeiro


Símbolo da cultura do estado brasileiro de Goiás, o pequi pode também ser encontrado em toda a região Centro-Oeste (considerada a capital da fruta) e nos estados de Rondônia (ao leste), Minas Gerais (norte e oeste), Pará (sudoeste), Tocantins, Maranhão (extremo sul), Piauí (extremo sul), Bahia (oeste), Ceará (sul), e nos cerrados de São Paulo e Paraná. Em Goiás podem ser encontradas todas as variedades, cuja frutificação ocorre entre os meses de setembro e fevereiro. Está na lista de espécies ameaçadas do estado de São Paulo. É encontrado também na Bolívia.
 No estado do Tocantins há uma cidade com o nome de Pequizeiro em homenagem à árvore, onde se celebra a festa do pequi todos os anos.

Fruto verde

Fruto maduro
O fruto pode ser apreciado em variadas formas: cozido, no arroz, no frango, com macarrão, com peixe, com carnes, no leite, e na forma de um dos mais apreciados licores de Goiás. Além de doces e sorvetes.
Pequi com arroz
Ingredientes da Receita de Arroz com Pequi
1 xícara (chá) de arroz
2 colheres (sobremesa) de óleo de canola
10 pequis
2 dentes de alho picados
1 cebola média picada
3 colheres de sopa de salsinha picada
2 tomates para decorar
Modo de Preparo do Arroz com Pequi
Refogue o arroz com o alho e a cebola. Coloque a água e os pequis. Deixe cozinhar e sirva quente. Salpique salsinha e decore com os tomates.
Na hora de servir, lembre-se que a polpa só pode ser mordida superficialmente. Logo abaixo ficam os espinhos que podem machucar e são difíceis de serem retirados.
Benefícios do Arroz com Pequi
Segundo as pesquisas do Laboratório de Genética e Mutagênese da Universidade de Brasília, os antioxidantes presentes no Pequi protegem as células do ataque dos radicais livres. Há evidências de que a fruta pode ser uma arma contra o câncer e ainda proteger as células dos efeitos colaterais das drogas usadas no tratamento da doença. Ou seja, o temperinho tem poderes antioxidantes consideráveis. É rico nas vitaminas A, C e E. Possui boas doses de cálcio, fósforo, potássio e magnésio. Contém betacaroteno, flavonóides e ácidos graxos ômega-3. Que beleza, não? Agora é só preparar e saborear o Arroz com Pequi, um presente ultra saudável da culinária do Centro-oeste.
Pequi com arroz:

22/09/2010

ABSINTO MUITO




Em visita ao blog do Ramon Lamar, tomei conhecimento da reportagem que saiu no jornal "Estado de Minas", sobre estes meninos que formam a banda de rock Absinto Muito, que vêm se revelando a cada apresentação feita, agora ja extrapolando os limites da nossa cidade, elevando nosso nome, e se apresentando com sucesso e críticas favoráveis por onde se apresentam. Aos garotos,  nossos cumprimentos, e votos de contínuos sucessos, outros virão em cadeia. Parabens!
Ao Dr. Eduardo Antunes e Dra. Eliane, pais de dois dos musicos, parabenizamos e aplaudimos seu apoio, disponibilidade e renuncias que se permitem acompanhando-os,  orientando-os,  seguindo-os nesta caminhada inicial que certamente é mais árdua e cansativa... Parabens!
À Banda Absinto Muito, desejamos muito sucessos.
Celle Ornamental
  

MEU MENINO PASSARINHO


Passarinho!

Voa, voa meu passarinho
Novos ares vai buscar
Aproveite que Deus lhe deu asas
E um mundo novo vai conquistar...

Voa,  voa, depressa,
 bate as asas,  só pare pra descansar
Do néctar das flores se alimenta
Se cuide, não  vou chorar...

Deixe comigo tão somente
Pra de você me lembrar
Da mais bela flor o perfume 
 que por derradeiro beijar.
x
O  Menino Passarinho:
Não corte minhas asinhas
Não me impeças de voar
Abra a porta da gaiola
Para o mundo eu conquistar

Sou um viajeiro iniciante
Que carece de voar
Ainda que eu vá pra longe
Esperem que  vou voltar!

Mensagem de uma avó saudosa do neto, adolescente,  partindo para um intercâmbio, no exterior.

21/09/2010

O CERRADO MINEIRO

O cerrado mineiro
 Convidei minha prima para passear, fomos com  Antonio visitar algumas fazendas localizadas próximas a Contria e Beltrão, municípios pertencentes a Corinto e distantes de S.Lagoas uma três horas.  Minha prima era a primeira vez que visitava aquela região.


 Considerada  sertão, possuindo vegetação de cerrado: arvores dispersas, caules e tronco tortuosos, poucas folhagens, clima quente, pouca chuva, e nesta época do ano então, a vegetação está seca e há perigo de fogo, incendios.
Foram horas agradáveis e colocamos os assuntos em dia. Aproveitamos a viagem para apreciarmos a natureza agreste, sentir na pele o calor daquele clima quente, aquela paisagem rude e bonita, pouco comum aos nossos olhos, suas propriedades e naturalmente um dos diferentes ecossistema do nosso país. 

A balsa
Houve de tudo nesta viagem, até passeio de balsa.
Rio das Velhas
Na Serra do Cabral, que emoldura toda paisagem da região, com sua diversidade de vegetação e suas cachoeiras, seus pequenos riachos que nascem e correm pelo cerrado a fóra.
O Rio das Velhas, escorre molemente por ali. É um dos afluentes do Rio São Francisco. Agora, mais despoluído, cujo resultado advem do trabalho que vem sendo feito de conscientização das populações ribeirinhas da necessidade de despoluir e refazer a mata ciliar, nas laterais dos rios. E com as prefeituras das cidades que jogam seus esgotos em suas aguas, sem nrnhum tratamento prévio. 
  Em certos pontos da estrada, para atravessar o Rio, presisa-se de usar a balsa, embarcação muito rudimentar, constituindo o meio de ligação entre uma margem e outra do rio, por não haver pontes construidas. 
Uma das cachoeiras

 A balsa provocou pavor na minha amiga que nunca havia embarcado em algo semelhante e por não sabe nadar. Quase desmaiou!
... e nós atravessamos quatro vezes, duas pra lá e duas pra cá, de volta.  
Vencido o medo, passamos para a outra margem do rio e entramos na fazenda onde tivemos a oportunidade de ver a agricultura em desenvolvimento naquela região, apreciamos e admiramos um grande plantio de milho, de feijão. 
A  soja, a abóbora, melancia ali produzidas haviam sido colhidas, até trigo irrigado, foi colhido na semana passada, em caráter experimental para atender necessidade de uma industria de massas. Produziu muito bem mas, aguardam uma análise verificando a viabilidade do plantio. Na verdade, encarece muito a produção a correção do solo, a irrigação e outros itens, embora hája, incentivos do governo, com facilidades de crédito para essa região.

Colheita do feijão mecanizada

Feijão colhido e agrupado em alas para facilitar o recolhimento


  E assim passamos um dia bem agradável que não terminou sem antes apreciarmos um confinamento de gado de corte, noutra fazenda, e deslumbrarmos de um por do sol  espetacular.
                                                 Confinamento do gado
                                                       Silo de milho
                                                    E um magnífico por do sol
Viva o cerrado!

19/09/2010

A REPÚBLICA EM PERIGO?

                                     "BANDEIRA BRASIL IMPÉRIO"

Já começa com desrespeito...

 "NEM MESMO CRISTO ME TIRA ESSA VITÓRIA.

 Após a inauguração de um comitê em Minas, a candidata é entrevistada por um jornalista local: - como a senhora vê o crescimento da sua candidatura nas pesquisas?
O povo brasileiro sabe escolher, é a continuidade do governo Lula, e após as eleições nós vamos desarmar o palanque e estender os braços aos nossos adversários, o candidato Serra está convidado a participar do meu governo, porque nesta eleição nem mesmo Cristo querendo, me tira essa vitória, as pesquisas comprovam o que eu estou dizendo, vou ganhar no primeiro turno.


Parece que está caindo a imagem de boa moça e aparecendo quem realmente é a Dilma Roussef.
"O Povo Brasileiro estará cometendo um grande erro elegendo Dilma presidente e vão sofrer.”
- Ciro Gomes.

16/09/2010

HUMORÍSTICAMENTE FALANDO

Repasso aos amigos:  Palavras de um  Grande Escritor

Eu tomo um remédio para controlar a pressão.
Cada dia que vou comprar o dito cujo, o preço aumenta.
Controlar a pressão é mole. Quero ver é controlar o preção.
Tô sofrendo de preção alto.
O médico mandou cortar o sal.
Comecei cortando o médico, já que a consulta era salgada demais.
Para piorar, acho que tô ficando meio esquizofrênico. Sério!
Não sei mais o que é real.(nossa moeda)
Principalmente, quando abro a carteira ou pego extrato no banco.
Não tem mais um Real.
Sem falar na minha esclerose precoce. Comecei a esquecer as coisas:
Sabe aquele carro? - Esquece!
Aquela viagem? - Esquece!
Tudo o que o barbudo prometeu? - Esquece!
Podem dizer que sou hipocondríaco, mas acho que tô igual ao meu time:
- nas últimas...
Bem, e o que dizer do carioca?
Já nem liga mais pra bala perdida...
Entra por um ouvido e sai pelo outro.
Faz diferença...
"A diferença entre o Brasil e a República Checa é que
a República Checa tem o governo em Praga
e o Brasil tem essa praga no governo"

Luiz Fernando Verissimo
Não tem nada pior do que ser hipocondríaco num país que não tem remédio.

13/09/2010

MARAVILHAS DA NATUREZA

 A PRIMAVERA VEM CHEGANDO!!!







Para refletir.....





Campanha Publicitária
espalhada pela cidade de São Paulo através de Outdoors:



"Crie filhos em vez de herdeiros."

"Dinheiro só chama dinheiro, não chama para um cineminha, nem para tomar um sorvete."

"Não deixe que o trabalho sobre sua mesa tampe a vista da janela."

"Não é justo fazer declarações anuais ao Fisco e nenhuma para quem você ama."

"Para cada almoço de negócios, faça um jantar à luz de velas."

"Por que as semanas demoram tanto e os anos passam tão rapidinho?"

"Quantas reuniões foram mesmo esta semana? Reúna os amigos."

"Trabalhe, trabalhe, trabalhe. Mas não se esqueça, vírgulas significam pausas..."

"...e quem sabe assim você seja promovido a melhor (amigo / pai / mãe / filho / filha / namorada / namorado / marido / esposa / irmão / irmã.. etc.) do mundo!"



"Você pode dar uma festa sem dinheiro. Mas não sem amigos."

10/09/2010

Comentário: "O Homem em Perigo"

Comentário do amigo, João.A Soares sobre o "O homem em Perigo"

João, obrigada, gostei tanto do seu comentário que lhe peço licença para publicá-lo no "Celle Ornamental",( com ou sem seu consentimento) porque meus leitores ainda que poucos, merecem conhece-lo. O amigo que me introduziu na blogosfera e que me honra comentando e incentivando meus trabalhos, me encantando com sua facilidade de expor seus pensamentos com lucidez, capacidade, sabedoria e arte.
Escrever bem é uma arte e você amigo, um artista!

Assim falou...
Muito interessante este texto que nos traz aqui. Muito obrigado.

Para revitalizarmos o planeta, devemos começar por nós, pelo nosso código de valores éticos, pela nossa noção de civismo, pela nossa coerência entre o que pensamos, o que dizemos e a forma como actuamos, em relação a nós próprios, aos outros e ao ambiente. Não podemos esquecer os nossos compromissos perante os amigos e todos os outros.

Devemos procurar alertar os familiares, os vizinhos e os amigos, limpar a nossa frontaria, o nosso bairro. Começando assim, acabaremos por ver o mundo diferente, mais pacífico, mais feliz.

Quando o texto refere Deus, interpreto-o como algo de indefinido que nos serve de guia, o nosso código de valores, o nosso intelecto, sem fanatismos, sem exclusividade. E digo isto por haver leitores que são alérgicos à palavra. O certo é que os povos, desde a antiguidade, sentiram necessidade de tal esteio espiritual. E quando falo de exclusividade tenho presente a loucura de um fanático americano que pretendia queimar o Corão.

Há dias num, dos convívios, alguém referiu que a extracção diária de enorme quantidade de petróleo, deixa espaços vazios no subsolo, que podem causar abatimentos do solo, com terramotos e desaparecimento de cidades. Por outro lado as loucas construções em altura, exercem desmesurado peso num local das placas tectónicas desequilibrando-as e originando terramotos. O mais perigoso é que existe grande concentração de tais construções em áreas em que se tem feito intensa exploração de petróleo, o Médio Oriente, de onde se conclui o perigo que tem estado a ser criado nessa região. Não será de estranhar um grave cataclismo num futuro próximo.

O HOMEM EM PERIGO

O HOMEM EM PERIGO
TRANSCRITO Do Sempre Jovem, assunto atual, complexo, abordado pelo escritor Michel Quoist, em seu livro: Construir o Homem e o Mundo, em 1971.
Em face da consciência da humanidade, os chamados grandes problemas - a injusta condição do mundo operário e o proletariado nos povos subdesenvolvidos - permanecem ainda sem solução.
Seus amargos frutos e inúmeras variedades de sofrimento que acarretam, atingem o homem em sua carne e sua alma.
No entretanto, um outro mal, talvez mais grave ainda, vai invadindo a humanidade, a – terrível reviravolta das coisas- pelos povos mais evoluídos, e pelos homens mais civilizados. É uma espécie de desintegração, e decomposição, de apodrecimento do próprio homem. Os maiores sábios e os mais eminentes pensadores que crêem na primazia do espírito sobre a matéria acham-se inquietos, e a própria humanidade já começa a compreender a importância desse perigo.
O homem moderno, orgulhoso de seu poder sobre a matéria e sobre a vida, parece dominá-las cada dia melhor. A medida em que pela ciência e pela técnica o homem vai se apoderando do universo, vai também perdendo o domínio do seu universo interior.
Pretende dirigir o universo e não sabe dirigir nem a si mesmo.
O verme que o corroi está em seu interior, e se fortifica, alimentado pelas facilidades do mundo moderno que oferecem ao corpo as delicias e ao espírito o orgulho do poder.
É preciso refazer o homem, para que o universo seja por ele refeito, na ordem e no amor.
Quanto mais facilidade de viver e de gozar, mais necessidade de luz terá o homem para compreender que não são senão os meios para atingir um fim mais alto; precisará também de força interior para não se apegar a elas; e mais necessidade de amor terá a fim de captá-las em seu benefício.
O Homem produz cada vez mais e, perpétuo esfomeado, lança-se sobre esses bens sem nunca se sentir saciado.
Infernal círculo vicioso, onde as necessidades crescem mais depressa do que nascem as coisas, e o homem escravo debruça-se para colher os frutos da matéria e acaba por cair de joelhos diante desse ídolo.
Apesar da sua decadência, o homem admira-se a si mesmo. E admirando-se esquece da onipotência de Deus e faz das coisas seu Deus.
Para construir o homem e o mundo moderno, não é preciso apenas restituir ao homem sua alma, mas também faze-lo redescobrir quem o criou, com perfeição. Senão amanhã não haverá mais homem.O homem bem construido o é em três planos: o físico, o sensível e o espiritual.
Os planos reagem uns sõbre os outros, mas sua hierarquia deve ser respeitada, sendo o físico o ultimo, o menos nobre, e o espiritual está acima de todos. Se a ordem dos valores não for conservada o homem se desagrega.
Alguns homens andam de cabeça para baixo, e isto não é normal. O físico tomou o comando...
Outros caminham de rastros é a sensibilidade dominando...
A afeição se torna paixão...
A sensibilidade domina e paralisa o espirito...
"O homem precisa estar de pé", com seu espirito inteiramente livre, comandando a sua sensibilidade e o seu corpo. Se o corpo precisa de alimento também é preciso fortalecer o espírito e os sentidos com conhecimentos e estudos.
O homem não pode manter-se de pé; seu corpo muito pesado, sua sensibilidade, muito sedutora, ele precisa de força espiritual que o atraia para cima, para o alto e o sustente e o tranforme interiormente. Quando o homem se mantiver de pé, altruista, olhará ao seu redor e verá a realidade que o cerca, o perigo que o rodeia, será bom que reflita voltando à plena posse de si mesmos para, em seguida, se fortificar espiritualmente.
Assim não estará mais preocupados só em “ter”, mas primeiramente, em “ser”.
O homem em perigo, falta Deus na sua vida!

06/09/2010

INDEPENDÊNCIA DO BRASIL


Um pouco da nossa história


"07 DE SETEMBRO"
"A Independência do Brasil" é um dos fatos históricos mais importantes de nosso país, pois marca o fim do domínio português e a conquista da autonomia política. Muitas tentativas anteriores ocorreram e muitas pessoas morreram na luta por este ideal. Podemos citar o caso mais conhecido: Tiradentes. Foi executado pela coroa portuguesa por defender a liberdade de nosso país, durante o processo da Inconfidência Mineira.
Dia do Fico
Em 9 de janeiro de 1822, D. Pedro I recebeu uma carta das cortes de Lisboa, exigindo seu retorno para Portugal. Há tempos os portugueses insistiam nesta idéia, pois pretendiam recolonizar o Brasil e a presença de D. Pedro impedia este ideal. Porém, D. Pedro respondeu negativamente aos chamados de
Portugal e proclamou :
"Se é para o bem de todos e felicidade geral da nação, diga ao povo que fico."

Após o Dia do Fico, D. Pedro tomou uma série de medidas que desagradaram a metrópole, pois preparavam caminho para a independência do Brasil. D. Pedro convocou uma Assembléia Constituinte, organizou a Marinha de Guerra, obrigou as tropas de Portugal a voltarem para o reino. Determinou também que nenhuma lei de Portugal seria colocada em vigor sem o " cumpra-se ", ou seja, sem a sua aprovação. Além disso, o futuro imperador do Brasil, conclamava o povo a lutar pela independência.
O príncipe fez uma rápida viagem à Minas Gerais e a São Paulo para acalmar setores da sociedade que estavam preocupados com os últimos acontecimento, pois acreditavam que tudo isto poderia ocasionar uma desestabilização social. Durante a viagem, D. Pedro recebeu uma nova carta de Portugal que anulava a Assembléia Constituinte e exigia a volta imediata dele para a metrópole.
Estas notícias chegaram as mãos de D. Pedro quando este estava em viagem, de Santos para São Paulo. Próximo ao riacho do Ipiranga, indignado levantou a espada e gritou :

" Independência ou Morte !".
Este fato ocorreu no dia 7 de setembro de 1822 e marcou a Independência do Brasil.
 No mês de dezembro do mesmo ano, 1822, D. Pedro foi declarado Imperador do Brasil.Pós Independência
Os primeiros países que reconheceram a independência do Brasil foram os Estados Unidos e o México. Portugal exigiu do Brasil o pagamento de 2 milhões de libras esterlinas para reconhecer a independência de sua ex-
colônia. Sem este dinheiro, D. Pedro recorreu a um empréstimo da Inglaterra.
Embora tenha sido de grande valor, este fato histórico não provocou rupturas sociais no Brasil. O povo mais pobre se quer acompanhou ou entendeu o significado da independência. A estrutura agrária continuou a mesma, a
escravidão se manteve e a distribuição de renda continuou desigual, até hoje...

03/09/2010

Familia Feliz





A Alegria de poder dizer: Somos uma Família Feliz, não é presunção nem afetação, é a mais pura FELICIDADE!

Como qualquer outra família temos problemas, as mesmas dificuldades, as mesmas alegrias, as mesmas tristezas, tudo igual!
Estamos nos esforçando e aprendendo aceitar as adversidades naturais da vida, nos dando as mãos e nos ajudando, mutuamente, a união faz a força, a fim de superarmos separações temporárias e perdas definitivas e recentes, no seio da família.
Saúde, educação, trabalho, cultura, solidariedade, responsabilidade, fé e esperança são nossos objetivos e corremos atrás como meta a alcançar.
Igual uma Olimpíada jogamos para ganhar, nunca para humilhar ninguém, fiéis e leais ao adversário ou melhor, aos concorrentes.
Nos alegram as vitórias sim, mas nos interessam também as dos outros, nos estimulam e nos impulsionam, e unidos fazemos a vida girar alegre e prazeirosa!
Com as derrotas procuramos tirar lições de vida, aprendemos com as mesmas.
Temos quatro filhos, que são uma benção. Três mulheres e um homem.
Só nos proporcionam orgulho e alegrias.
Das filhas ganhamos os netinhos, são seis, todos homens, gostam de futebol e são torcedores convictos do Cruzeiro Esporte Clube, sendo apenas o avô Antonio, torcedor do Atlético Mineiro, um rival, convivendo sempre dentro de boa e respeitável camaradagem.
Na época da Copa do Mundo eu li: (interessante, não sei dizer a autoria nem me lembro onde...)
Gostaria, meus netos, que vocês vivessem como num bom jogo de futebol.
Que aprendessem a driblar as dificuldades, tristezas, e que matassem no peito as angústias que viessem a sentir.
Para a mentira e a falsidade mostrassem sempre um cartão amarelo.
E, para o medo mostrassem um cartão vermelho, porque é de coragem e bom senso que irão precisar.
Aqueles falsos amigos, aqueles traíras devem ser mandados para lateral e, caso sofram uma derrota, não se aflijam, que ela sirva de lição sem deixar revolta.
Tenham coragem e força, corram para o ataque, e assim, sigam em frente e na defesa, tenham calma e simplicidade para que não se machuquem.
Façam belíssimos gols, conquistem e comemorem verdadeiras amizades.
Jogar bem é uma necessidade para se sentirem realizados e se tornarem verdadeiros campeões, na vida.
Não se esqueçam das grandes jogadas de paz e amor, e assim com segurança comemorem muito!
Estaremos, na platéia da vida, torcendo para cada um fazer belíssimo gol, e assim sempre vencer!!!


Vai, Vinicius, vai Breninho, vai, vai...

Gooooooooooool;

Vai, vai Victor, Lucas, vai!

Chutou na traveee !!!...

Antonio Henrique vai, corre...

esqueça os peixes, solta a bola para o Arthur!

– Penalte, penalte, sobre o Arthur! ...

Vai cobrar o Arthur, chutoouuuu...
 ...Goooooooooooool!



45’ minutos do 2º tempo

-Fim de jogo...

Vitória do Bom senso sobre o Imprudência!

e...

Até um próximo jogo...




SEMPRE VIVAS


A natureza nos brinda com estas maravilhas!



Flores do nosso cerrado