20/09/16

PERIGO DOS REMÉDIOS SEM RECEITA MÉDICA

Vendidos abertamente em farmácias, sem qualquer regularização ou supervisão médica, você pode até pensar que remédios sem receita são seguros. Entretanto, medicamentos como ibuprofeno ou paracetamol podem ser muito prejudiciais à sua saúde. O uso prolongado dessas substâncias pode danificar o seu fígado e rins, bem como causar infartos e derrames. Então, quais são os perigos por trás desses medicamentos e como evitá-los?
Os Perigos Por Trás Dos Remédios Sem Receita
Como os remédios tornam-se disponíveis:
Antes dos medicamentos aparecerem nas prateleiras das farmácias, eles passam por diversos estágios de pesquisa e testes, para verificar sua eficácia, segurança e efeitos colaterais. Na fase inicial ou fase pré-clínica, as propriedades farmacológicas da droga são testadas em animais de laboratório e amostras de tecido humano. Os testes também incluem o potencial de causar defeitos pré-natais ou tumores em embriões. Se a fase inicial é bem-sucedida, a pesquisa passa à fase de testes clínicos em voluntários saudáveis, usando uma dose baixa da droga, para observar seus efeitos e eficácia em seres humanos.
Na segunda fase clínica, os pesquisadores filtram centenas de pacientes, administrando neles diferentes doses da droga. Esse processo leva cerca de dois anos até entrar no terceiro estágio clinico – a administração da droga em milhares de pacientes, através de centros médicos locais. Para verificar os reais efeitos da medicação, alguns grupos de controle recebem placebos em vez da droga. Uma vez que essas quatro fases são bem-sucedidas, os pesquisadores solicitam a aprovação do governo. Entretanto, isso não conclui a fase de testes, pois, uma vez que mais pessoas começam a tomar a droga, novos efeitos colaterais podem surgir.
Os Perigos Por Trás Dos Remédios Sem Receita
Os perigosos efeitos colaterais de medicamentos populares
Cada medicamento possui sua gama de efeitos colaterais. Portanto, antes de tomá-los, leia este guia e certifique-se de que sabe dos seus danos em potencial.
1. Ibuprofeno: Danos aos rins e fígado e infartos
Nomes comerciais: Advil, Motrin, Alivium, Maxifen, Doraplax e outros.
No final da Segunda Guerra Mundial, a empresa Bayer descobriu a capacidade da aspirina para reduzir a inflamação e dores. Desde então, a família dos AINEs (anti-inflamatórios não-esteroides) expandiu, incluindo muitas outras drogas que suprimem duas enzimas chamadas COX. Entre estes medicamentos, um dos mais populares é o ibuprofeno, desenvolvido pelo Dr. Stewart Adams, em um laboratório improvisado em sua casa. Foram anos de desenvolvimento antes que ele apresentasse sua criação à empresa.
Se usado por um período prolongado, o ibuprofeno pode causar hemorragias gástricas, e, portanto, não é recomendado às pessoas que sofrem de úlceras ou inflamações gástricas e àquelas que tomam anticoagulantes ou sofrem de problemas de coágulos. O ibuprofeno também pode diminuir o efeito de algumas medicações para pressão arterial.
Em casos extremos, o ibuprofeno pode ser ainda mais perigoso: cerca de 15% dos usuários apresentam danos no fígado. Em casos mais raros, pacientes apresentam icterícia, hepatite, e até mesmo falha hepática, o que pode levar à morte.

2. Paracetamol: Um dos mais tóxicos medicamentos existentes
Nomes comerciais: Tylenol, Resfenol, Cefalium, Resprin e outros.
O paracetamol é um dos mais comuns medicamentos encontrados nas residências de todo mundo, mas poucos sabem da extensão de sua toxicidade.
Os efeitos colaterais desse medicamento são muito raros, mas uma superdose pode ser fatal. Uma quantidade de oito gramas por dia (16 comprimidos) pode levar a danos irreversíveis no fígado e até à morte. A dose máxima diária permitida é de seis comprimidos, com um período de quatro horas entre cada 500 mg.
O paracetamol é muito perigoso quando ingerido com álcool, suco de toranja (grapefruit), medicamentos para pressão arterial ou suplementos que contêm Hipérico. Essa combinação pode também causar danos ao fígado. Consulte a bula antes de tomar o paracetamol com qualquer outro medicamento. O paracetamol também tem efeito vasoconstritor, motivo pelo qual não pode ser utilizado por pessoas com problemas cardíacos ou circulatórios.
Os Perigos Por Trás Dos Remédios Sem Receita

3. Aspirina (ácido acetilsalicílico): Popular, mas perigosa
Nomes comerciais: AAS, Aspirina, Buferin, Melhoral e outros.
Uma das maiores invenções da medicina, a força da aspirina vem do ácido acetilsalicílico – o seu principal ingrediente. Ele não só reduz a febre e dor, como também age como um eficaz anticoagulante que pode prevenir infartos e derrames. Recentemente, foi descoberto que ele pode até ajudar a prevenir alguns tipos de câncer. Entretanto, apesar de todos os seus benefícios, a aspirina não é tomada sem riscos.
A aspirina inibe as enzimas COX, que são responsáveis pela produção de muco e regulação de temperatura, dor e inflamações. Em anos recentes, descobriu-se que as propriedades preventivas da droga incluem a anticoagulação e a redução de inflamações que levam a infartos e derrames.
Um dos maiores efeitos colaterais dos anti-inflamatórios não-esteroides é sua tendência a irritar o estômago e causar ulceras e sangramentos, o que é causado por sua propriedade de inibição da enzima que produz muco. Por isso, é recomendado tomar aspirina apenas de estômago cheio. Em casos raros, a aspirina pode provocar a Síndrome de Reye em crianças e adolescentes, e levar a danos no cérebro e fígado. Por isso não se deve administrar aspirina a crianças antes dos 12 anos.
A aspirina não deve ser combinada com as seguintes drogas:
  • Anticoagulantes: a aspirina pode aumentar a eficácia do remédio, causando hemorragias.
  • Antiácidos: a acidez estomacal reduzida pode impedir que a aspirina dissolva e vá até a corrente sanguínea.
  • Corticosteroides: Podem aumentar a irritação estomacal e causar úlceras.
  • Medicamentos para gota: A aspirina reduz a concentração do ingrediente ativo (Alopurinol) no sangue, acabando com sua eficácia.
  • Diuréticos: A aspirina reduz a concentração de diuréticos no sangue.
  • Fenobarbital: Usado para tratar convulsões, ele se tornará menos eficiente quando combinado com a aspirina.
  • Fenitoína: Também usada contra convulsões, ela pode se tornar tóxica quando administrada com a aspirina. 
Evite os efeitos colaterais: Não seja tímido: É o trabalho do farmacêutico lhe informar sobre os possíveis efeitos colaterais, bem como sobre as interações medicamentosas. Conte a ele tudo o que você toma além do remédio que está comprando.
Leia a bula: Mesmo drogas que você toma há muito tempo podem tornar-se perigosas conforme você fica mais velho e começa a tomar outros remédios. A bula também lista os feitos colaterais, as interações com outras drogas e as contraindicações do medicamento que você está prestes a tomar.
Ajuste a dosagem ao seu peso: Todos os medicamentos devem ser ajustados ao peso do paciente para evitar uma overdose. Isso é especialmente importante em crianças e bebês.
Relate todos os efeitos colaterais: Se você sofrer de qualquer efeito colateral, conte ao seu médico imediatamente! Talvez seja preciso que você ajuste a dosagem ou tome uma medicação diferente.Evite a exposição prolongada: Não tome nenhum medicamento por mais de três dias, a menos que assim receitado pelo seu médico. Tome apenas a dose recomendada no período prescrito, de acordo com as instruções do seu médico e a bula do remédio.
Sinta-se bem!
"As informações e sugestões contidas neste site são meramente informativas e não devem 
substituir consultas com médicos especialistas.”

FAÇA A DIFERENÇA

Para ler, pensar e reenviar, pela solidariedade…

E-mail recebido do amigo A.João Soares
Tenho 70 anos e estou cansado. Exceto um breve período na década de 60, quando fiz o meu serviço militar, tenho trabalhado duro desde que eu tinha 12 anos. Trabalhava 50 horas por semana, e não caí doente emquase 50 anos. Tinha um salário razoável, mas não herdei o meu trabalho ou o meu rendimento. Eu trabalhei para chegar onde estou, e cheguei economizando muito, mas estou cansado, muito cansado.
Estou cansado de que me digam que eu tenho que "distribuir a riqueza" para as pessoas que não querem trabalhar e não têm a ética de trabalho.

Estou cansado de ver que o governo fica com o dinheiro que eu ganho, pela força, se necessário, e o dá a vagabundos com preguiça para ganhá-lo.

Estou cansado de ler e ouvir que o Islamismo é uma "religião da paz", quando todos os dias eu leio dezenas de histórias de homens muçulmanos a matar suas irmãs, esposas e filhas pela "honra" da sua família; de tumultos de muçulmanos sobre alguma ligeira infracção; de muçulmanos a assassinar cristãos e judeus porque não são "crentes"; de muçulmanos queimando escolas para meninas; de muçulmanos apedrejando adolescentes, vítimas de estupro, até a morte, por "adultério"; de muçulmanos a mutilar o genital das meninas, tudo em nome de Alá, porque o Alcorão e a lei Sharia diz para eles o fazerem.
Estou cansado de que me digam que por "tolerância para com outras culturas" devemos deixar que Arábia Saudita e outros países árabes usem o dinheiro do petróleo para financiar mesquitas e escolas madrassas islâmicas, para pregar o ódio na Austrália, Nova Zelândia, Reino Unido, Estados Unidos e Canadá e, enquanto que ninguém desses países está autorizado a fundar uma sinagoga, igreja cristã ou escola religiosa na Arábia Saudita ou qualquer outro país árabe, para ensinar amor, tolerância e paz.
Estou cansado de que me digam para eu baixar o meu padrão de vida para lutar contra o aquecimento global, o qual não me é permitido debater.
Estou cansado que me digam que os toxicodependentes têm uma doença, e eu tenho que ajudar no seu tratamento e pagar pelos danos que fazem.
Eles procuraram sua desgraça. Nenhum germe gigante os agarrou e encheu de pó branco seus narizes, ou à força injectou porcaria em suas veias.
Estou cansado de ouvir ricos atletas, artistas e políticos de todos os partidos, a que chamo papagaios, falarem sobre erros inocentes, erros estúpidos ou erros da juventude, quando todos sabemos que eles pensam que seus únicos erros foi serem apanhados.

Estou cansado de pessoas sem senso do direito, sejam elas ricas ou pobres e de justiça que não funciona.
Estou realmente cansado de pessoas que não assumem a responsabilidade por suas vidas e acções. Estou cansado de ouvi-las culpar o governo e a sociedade de discriminação pelos "seus problemas."

Também estou cansado e farto de ver homens e mulheres serem repositório de pregos, pinos e tatuagens de mau gosto, tornando-se assim pessoas não-empregáveis e, por isso, reivindicando dinheiro do governo (dos impostos pagos por quem trabalha e produz).
Sim, estou muito cansado. Mas também estou feliz por ter 70 anos, porque não vou ter de ver o Mundo que essas pessoas estão CRIANDO.
Mas estou triste e penso que futuro para netos e filhos ainda bastante novos. Graças a Deus estou no caminho de saída e não no caminho de entrada.

Não há maneira de isto ser amplamente divulgado... A menos que cada um de nós colabore, enviando e ganhando força para contrariar esse (mau) caminho que o Mundo, por força de (péssimos) governantes, nos está proporcionando.
É esta a nossa chance de fazermos a diferença.
Você por certo não estará muito cansado para enviar isto, certo !!?!
MENSAGEM A CIRCULAR PELA NET!!! AGORA DIGAM QUE O AUTOR DEMONSTRA FALTA DE SOLIDARIEDADE!!!
Tenho mais de 70 anos e estou cansado

 

23/06/16

APRENDER A BORDAR - Oficina Matizes Dumont

VENEZUELA- REVISTA ISTO É

Vejam a reportagem da Isto É:

http://istoe.com.br/do-que-escapamos/


Uma tragédia humanitária se multiplica no exato momento em que você lê este texto. O que era ruim ontem ficou péssimo hoje. E vai piorar amanhã. Dizem que a desgraça só nos atinge quando está por perto. Do contrário, nós a ignoramos. Mas esta catástrofe não pode ser esquecida sob o pretexto da distância. Bastam pouco mais de cinco horas de voo a partir de São Paulo ou do Rio de Janeiro para chegar à Venezuela, o gigante sul-americano que vive o maior flagelo de sua história e o mais devastador para uma população das Américas desde o grande terremoto que devastou o Haiti, há seis anos.

Brasil e Venezuela dividem 2.200 km de fronteiras, mas a proximidade não foi capaz de despertar o interesse, ou pelos menos a piedade, dos brasileiros. Estamos indiferentes à dor e ao sofrimento de nossos vizinhos – e isso pode ser perigoso para nós mesmos. É preciso entender o caso venezuelano para espreitar o que poderia ter sido o Brasil se continuássemos flertando com o receituário populista. Nos anos Lula e Dilma, enveredamos por esse caminho e fizemos um esforço sincero para repetir aqui os erros que destruíram os vizinhos de lá. Se a Venezuela sucumbiu, o Brasil poderia ter encontrado o mesmo destino.

Os venezuelanos chegaram ao abismo porque seus dois últimos governantes, Hugo Chávez entre 1999 e 2013 e Nicolás Maduro desde então, reciclaram fórmulas surradas da esquerda latino-americana. Como a história ensinou, elas se prestaram, antes de tudo, a saciar as ambições – ou as loucuras – de líderes que, como Chávez, se consideram messiânicos. Pela ótica “revolucionária”, palavra que o populismo tratou de banalizar, o Estado é o senhor da vida dos cidadãos. Ele se sobrepõe à livre iniciativa, ao direito de escolha que as sociedades verdadeiramente democráticas conferem a cada um.

Chávez, que morreu de câncer em 2013, apoiou-se no dinheiro que jorrava das reservas de petróleo (a Venezuela detém as maiores jazidas do planeta) para oferecer alimentos subsidiados aos pobres, abrir linhas de crédito generosas para a compra de casas populares e reduzir o preço da energia, para citar as iniciativas que o tornaram o presidente mais popular da história do país. Fez isso sem pensar numa estratégia para resolver a equação “gastos públicos” versus “equilíbrio fiscal”, e o resultado é uma conta que não fecha.

Em sua sanha “revolucionária”, Chávez promoveu uma onda de estatização. Expropriou empresas de diversos setores e orgulhou-se de botar para correr empresários que defendiam a iniciativa privada. Sob Chávez, o governo venezuelano passou a controlar 80% do setor de telefonia fixa, 40% do bancário e 35% do varejo de alimentos. Refratário ao debate aberto, cassou a licença de emissoras de tevê, censurou jornais e perseguiu repórteres independentes.

Chávez não percebeu, mas ele estava começando a cavar o abismo que asfixia a Venezuela hoje em dia. Como o Estado passou a regular quase tudo, a corrupção atingiu níveis epidêmicos (qualquer semelhança com o Brasil não é mera coincidência) e os serviços se tornaram ineficientes, funcionando essencialmente para abastecer os bolsos dos próceres ligados ao governo. Uma nação corrupta e ineficiente (sim, poderia ser o Brasil, mas estamos falando da Venezuela) tende a esgotar seus recursos, e foi isso o que aconteceu.

Entre 1999, quando Chávez assumiu o poder, e 2013, quando morreu, os gastos públicos passaram de 25% do Produto Interno Bruto (PIB) para 52% (o descontrole com o dinheiro público não faz lembrar o governo Dilma?). Com Maduro, a relação se tornou mais dramática, chegando a impressionantes 60%. Junte-se a isso a queda do preço do petróleo (que responde por 95% das exportações do país) e o quadro que surge é o da falência absoluta. Os investidores sumiram (no Brasil de Dilma também), a inflação disparou (idem aqui), o desemprego e a inadimplência atingiram patamares dramáticos (idem, idem). Não é correto dizer que o Brasil seria a cópia perfeita e acabada da Venezuela (nossas instituições são mais fortes, nosso setor produtivo é mais diversificado), mas certamente não é exagero afirmar que os governos petistas fizeram muita coisa para repetir em solo nacional os pecados populistas de Chávez e Maduro.

Por mais que a esquerda feche os olhos para o problema, por mais que Chávez tenha tido, pelo menos no início, boas intenções (e que tenha até reduzido a disparidade de renda entre ricos e pobres), a realidade se impôs: a Venezuela é hoje um país em ruínas. Na semana passada, os jornais publicaram a notícia de um ex-professor universitário que foi linchado porque roubou US$ 5 de um velho que tinha saído do banco. Ele assaltou o idoso para comprar comida para os filhos, que passavam fome. Na terça-feira 24, um menino de 8 anos morreu de câncer. Ele se tornou famoso ao aderir aos protestos contra Maduro, carregando um cartaz onde se lia “Quero me curar. Paz e saúde.” A família do garoto não conseguiu os remédios para a quimioterapia, e ele não resistiu. Seu drama é o retrato acabado da falência da saúde. A Federação Farmacêutica Venezuelana calcula em 85% a escassez de medicamentos.

Estima-se que mais de 70% venezuelanos vivam na pobreza. O índice é equivalente ao de países miseráveis como a Somália. A população não tem o que comer. Também falta água. Nas favelas, as torneiras estão secas desde o ano passado. A escassez de água afeta a higiene, e assim surgiram surtos de doenças como a sarna. Os produtos da cesta básica sumiram das gôndolas dos supermercados. Desesperadas, as pessoas se juntam em pequenos grupos para roubar caminhões que transportam alimentos. Mesmo com o racionamento que impõe uma cota de no máximo dois itens por semana da cesta básica para cada venezuelano, a inflação não para de subir. Na semana passada, a capital Caracas reajustou os preços tabelados em mais de 1.000%. Estima-se que, em 2016, a inflação venezuelana supere 700%. Será a mais alta do mundo.

Conseguir comida requer lutas árduas. As filas nos supermercados chegam a 12 horas. Mesmo assim, o desfecho é incerto. O caos fez surgir a figura do “bachaquera”, “profissional” especializado em furar filas e que muitas vezes passa noites sem dormir para comprar a sua cota de alimentos. Os bachaqueras vendem os produtos por até 100 vezes o preço original.

Com a tessitura social desmoronando, uma onda de violência faz de Caracas uma das cidades mais letais do mundo. A polícia tem sido acusada de invadir casas, matar os proprietários e roubar alimentos. Justiceiros julgam e lincham supostos criminosos. Cidadãos comuns fogem para outros países. Há alguns dias, um emissário da ONU disse que a Venezuela vive um genocídio. Enquanto isso, o presidente Nicolás Maduro ameaça fechar o Congresso e cancelar eleições. O Brasil escapou de viver este inferno.

28/04/16

ALERTA DA LIGA CRISTÃ MUNDIAL


CAUTELA SEGURANÇA IGREJA

                                        VÍDEO DA INTERNET

27/04/16

BANHO FRIO




7 Grandes Benefícios do Banho Frio Para a Saúde!

A água quente é confortante e ajuda a relaxar, mas pode causar problemas na pele. O excesso de banhos em alta temperatura pode ressecar a pele se você não hidratá-la adequadamente. Quem tem o rosto oleoso deve evitar água quente, pois aumenta a produção de sebo no rosto, e aí surgem as indesejadas espinhas. O mesmo vale para quem tem problemas no couro cabeludo, como caspa ou excesso de oleosidade.


1. Faz bem à pele e aos cabelos
Se você quer manter seus cabelos e a sua pele saudáveis e com boa aparência, experimente tomar um banho frio de vez em quanto somente para testar. As diferenças serão visíveis. Isso acontece porque a água fria fortalece ajuda a reduzir os poros e mantém a pele hidratada por mais tempo. Já para os cabelos, o banho frio mantém firmes os óleos naturais dos fios, e por isso ficam mais firmes, brilhantes e com boa aparência.


2. Diminui a pressão sanguínea
Se você sofre com pressão alta, cogite a possibilidade de tomar banhos frios de vez em quando, pois melhora a circulação sanguínea. O choque da água fria no corpo faz com que as artérias trabalhem mais para controlar a temperatura interna, e por isso estimula a circulação em todo o organismo. Algumas pessoas até tem um pouco de palpitação quanto tomam banho frio ou entram em uma piscina ou no mar, pois é justamente isso que acontece, mas não se preocupe pois não faz mal ao coração. Pelo contrário, está estimulando a oxigenação do sangue. E tem mais: o banho frio ainda reforça a imunidade!


3. Reduz os níveis de estresse
Você teve um dia muito cheio e estressante e, para relaxar, toma aquele banho fervente. Fez bem, certo?
Errado! Tomar banho frio diminui consideravelmente os níveis de ácido úrico que soltamos no organismo em situações de estresse, além de estimular os antioxidantes. Um estudo mostrou que os banhos frios, além de diminuir a tensão, ajuda a melhorar sentimentos negativos, como raiva e tristeza. Por isso, caso tenha tido um dia difícil, tome um banho frio e relaxe.


4. Acaba com dores musculares
Você já deve ter visto em programas de esporte que diversos atletas fazem tratamento com gelo. Alguns deles até mergulham em banheiras cobertas de cubos de gelo! Eles fazem isso após longos e exaustivos treinos, pois a baixa temperatura evita que esses atletas tenham tensões e inflamações musculares, e ajuda a recuperar os tecidos após longos treinos.
Por isso, se você teve algum problema muscular, opte pelo banho frio após realizar alguma atividade física, de musculação a caminhada. Se tiver banheira em casa, mergulhe na água fria por pelo menos 25 minutos.


5. Ajuda a queimar gorduraIsso pode ajudar a turbinar a sua dieta de emagrecimento.
 Tomar banho frio acelera o metabolismo e ajuda a eliminar aquelas gorduras persistentes que ficam nas laterais do corpo e abdômens, por exemplo. É o temido tecido adiposo. Claro que, para usufruir deste benefício, você deve fazer uma dieta, mas o banho frio pode acelerar o emagrecimento.


6. Reforça o metabolismo.
Como dissemos no tópico anterior, o banho frio acelera o metabolismo. Assim que você entra em uma ducha de água fria ou banheira, seu corpo rapidamente reage para controlar a temperatura interna. Dessa forma, o metabolismo fica mais rápido. Assim, você perde calorias mais rápido e o seu corpo funciona melhor.


7. É a melhor forma de despertar
Muitas pessoas têm dificuldade em levantar da cama e precisam de um banho para começar o dia. Pois saiba que se você é assim e ainda toma banho quente, seu corpo vai ter ainda mais dificuldade para despertar, pois a alta temperatura é relaxante. Já o banho frio faz o contrário, pois estimula a circulação de oxigênio no organismo e, cansando aquela sensação de "acordar". Pode ser difícil nos primeiros dias, mas seu corpo estará habituado em algumas semanas.


25/04/16

MELISSA: NATURALMENTE CALMANTE


Nota: As informações e sugestões contidas neste site são meramente informativas e não devem substituir consultas com médicos especialistas.
A melissa (Melissa officinalis), também conhecida como erva-cidreira, é uma planta da família da menta. Graças ao seu aroma fresco e ativo, semelhante ao do limão, sua utilização tornou-se muito popular na gastronomia. Entretanto, em muitos lugares, esta erva também ficou conhecida por suas incríveis propriedades calmantes e fantásticos benefícios para a saúde.  As pessoas que têm pressão sanguínea baixa devem ter cautela, pois a melissa pode causar queda de pressão. Apresentamos aqui 10 motivos para você começar a incorporar melissa à sua dieta!
1. Reduz o risco de desenvolver Alzheimer e demência
Foi descoberto que os óleos essenciais liberados ao mastigar as folhas desta planta ajudam a estimular o funcionamento da memória, prolongar a concentração e capacidade de atenção em pacientes que sofrem de Alzheimer, bem como reduzir os sintomas mais extremos da demência.
2. Tratamento para herpes e outros efeitos antivirais
A melissa contém polifenóis que são benéficos para o tratamento das lesões causadas por herpes. Além disso, diversas pesquisas demonstraram que o consumo regular desta planta está associado a uma redução na frequência do surgimento das lesões.
3. Para a limpeza da pele
A infusão à base de melissa pode ser utilizada para limpar a pele. Coloque um punhado de folhas de melissa em um recipiente com 4 xícaras de água fervendo. Depois que a infusão estiver esfriado, aplique-a sobre o rosto, fazendo uma massagem suave. Para finalizar, enxágue com água fria.
4. Tratamento para ansiedade e insônia
O consumo regular desta planta tem demonstrado eficácia no tratamento da ansiedade, estresse e problemas para dormir. De fato, pesquisas indicam que suas propriedades têm a mesma eficácia dos medicamentos prescritos para tratar estes problemas. As substâncias químicas liberadas pelas folhas de melissa ao serem mastigadas possuem propriedades calmantes e benéficas à saúde. O governo da Alemanha aprovou o uso desta planta no tratamento dos transtornos do sono.
5. Alívio para dor de cabeça
As propriedades calmantes da melissa são ideais para combater as dores de cabeça, especialmente quando consumida em forma de infusão. Na próxima vez em que você sentir dor de cabeça, experimente substituir o analgésico pelo chá de melissa.
6. Combate a fadiga crônica e equilibra a tireoide
As substâncias químicas presentes nas folhas da melissa produzem efeitos positivos sobre a tireoide e produção de hormônios. Tais substâncias ajudam também a tratar da fadiga crônica e aliviar os sintomas associados a transtornos da tireoide.
7. Melhora os níveis de concentração
Uma pesquisa conduzida por um grupo de cientistas da Universidade de Northumbria, na Inglaterra, demonstrou que o consumo regular de melissa aumentou significativamente o rendimento de um grupo de estudantes quando comparados com outro grupo que não a consumiu. Seis horas após a ingestão de melissa, os estudantes sentiram-se mais relaxados e concentrados.
8. Alívio para a indigestão
As propriedades calmantes desta planta fazem maravilhas com problemas de indigestão e problemas estomacais. Também é muito benéfica para reduzir inchaços e cólicas intestinais.
9. Propriedades anti-envelhecimento
Esta planta é uma excelente fonte de antioxidantes que ajudam a proteger o organismo contra os danos produzidos pelos radicais livres.
10. Tratamento de picadas e lesões cutâneas
Utilizar uma infusão de melissa como tratamento tópico sobre picadas de insetos e outras lesões cutâneas leves ajuda a aliviar a irritação e acelerar o processo de cura.


20/04/16

MENTE SÃ EM CORPO SÃO

                                                       TRANSCRIÇÃO DA INTERNET
MEDITAÇÃO
Nos dias agitados de hoje, é difícil se deixar levar pela carga de mau humor e estresse que pode desencadear doenças, a começar pelas psicológicas, como depressão. O antigo ditado em latim "Mens sana in corpore sano" ("Mente sã em corpo são") está mais do que certo, pois a nossa mente nos controla.
É por isso que a meditação tem ganhado cada vez mais notoriedade. É uma prática ancestral que requer autocontrole, foco e concentração. Vários pesquisadores e cientistas já comprovaram que a meditação faz muito bem à saúde, a começar pelos benefícios psicológicos que se estendem pelo organismo. Algumas escolas no Reino Unido adotaram a prática diária de meditação para alunos e professores, com resultados comprovados de menos estresse e mais concentração.
Quer saber o que a meditação pode fazer por você? Vamos mostrar aqui algumas das maravilhas que esta prática pode trazer para a sua vida.

Melhora a memória e o humor
Lidar com mau humor, tristeza e pensamentos negativos é muito difícil, principalmente em momentos da vida em que estamos passando por dificuldades. É por isso que muitos apelam para medicamentos ansiolíticos e antidepressivos para controlar essas emoções. Porém, já foi comprovado cientificamente que a prática regular de meditação ajuda a melhorar o humor, e também fortalece a memória.

Mais foco e menos pensamentos ruins
Muitas vezes a nossa mente está tão cheia de preocupações que não conseguimos nos concentrar nas tarefas do dia a dia, seja no trabalho ou até em atividades corriqueiras do dia a dia. A mente se torna viciada nesse tipo de pensamento, provocando distrações. A meditação é eficaz para acalmar os pensamentos. Ao meditar, o cérebro consegue processar os pensamentos mais devagar, com mais facilidade, ao invés daquele turbilhão de coisas que passam pela cabeça. A consequência é mais foco para fazer as suas tarefas. Pensamentos negativos, além de atrapalhar a sua vida, podem desencadear doenças como depressão, ansiedade e síndrome do pânico.

Aumenta massa cerebral
Sim, é isso mesmo! Estudos realizados pelas Universidade de Harvard, Yale e Massachusetts, nos Estados Unidos, afirmaram que a prática regular de meditação promove benefícios fisiológicos no cérebro, pois foi verificado que a meditação literalmente reconstrói a massa cinzenta do cérebro, tornando os tecidos cerebrais mais fortes e espessos.
A massa cinzenta tende a diminuir com o avanço da idade, portanto a meditação é um ótimo remédio para isso. Vale lembrar que esta parte do cérebro está associada ao sistema cognitivo e emocional. Portanto, após práticas regulares de meditação, a atuação do cérebro melhora de forma significativa. Esses mesmos estudos comprovaram que a massa cinzenta pode se recuperar em até oito semanas quando se medita!

Reduz a fadiga física e mental
Como foi dito aqui anteriormente, uma mente sã torna o corpo são. Muitas vezes a fadiga física começa no cérebro, por causa do excesso de preocupações e pensamentos. E é aí que entra a meditação. Além de relaxar, torna a mente mais alerta, pois a meditação faz um tipo de "limpeza" no cérebro. Foi comprovado que meditar logo de manhã torna a mente mais alerta e ativa do que tomar uma xícara de café. Por isso, antes do café da manhã, tente meditar por 10 ou 15 minutos. Você se sentirá mais relaxado, mais calmo e, o que é melhor, com mais energia para o dia.

Melhora dores físicas
Os benefícios da mente se estendem para o corpo. Estudos comprovaram que a prática de meditação diminuir dores crônicas em até 50%, pois em muitos casos as pessoas sente dores psicossomáticas, ou seja, associadas a doenças psíquicas. Dessa forma, quando a meditação age na mente tornando-a mais saudável, automaticamente as dores físicas diminuem. A meditação é até aprovada pela medicina, pois muitos médicos a recomendam para pacientes com doenças psíquicas e comportamentais.

Traz benefícios psíquicos
A meditação torna a mente mais calma e focada, aliviando estresse, ansiedade e pensamentos negativos. O resultado é uma mente mais limpa e clara, promovendo paz interior. Dessa forma, fica mais fácil enfrentar os desafios da vida e até entender a si mesmo, e assim conseguimos ver a vida de forma mais positiva e otimista. Caso esteja em um tratamento psiquiátrico, converse com seu médico a respeito da meditação.


MOÇÃO DE CONGRATULAÇÃO

NO DIA INTERNACIONAL DA MULHER FUI SURPREENDIDA COM ESTA" MOÇÃO DE CONGRATULAÇÃO" IMERECIDAMENTE RECEBIDA,  INDICAÇÃO DA VEREADORA ANA CAROLINA CANABRAVA, INICIATIVA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SETE LAGOAS, O QUE MUITO ME SENSIBILIZOU! 

EM RECONHECIMENTO E PARA CONHECIMENTO DOS AMIGOS, SINTO-ME MUITO HONRADA E AGRADECIDA!

OBRIGADA!

11/04/16

CÂNCER

HOSPITAL KOPKINS
                            IMPORTANTE DIVULGAÇÃO SOBRE O CÂNCER
                                                 O MAL DO SÉCULO

REPRODUÇÃO DO PPS DO AMIGO A.JOÃO SOARES

09/04/16

MULHER ORGANIZADA

                                                          MULHER ORGANIZADA
Sabe quando erramos? Erramos quando valorizamos mais os de fora, do que os que são da nossa própria casa.
Erramos quando escrevemos grandes textos de homenagens, ou planejamos festas para amigos ou apenas conhecidos, e esquecemos de homenagear todos os dias nossa família.
Sabe quando erramos? Erramos quando colocamos aquela linda toalha de renda na mesa para as visitas, e para os da nossa casa, é aquela toalha velha mesmo, aquela manchada de massa de tomate sabe?!
Erramos quando a taça bonita é para as visitas, mas para os de casa? A xícara trincada.
Erramos quando nos empenhamos tanto em agradar os outros, mas para fazer um favor pra mãe, é um peso.
Sabe quando erramos? Quando nas rodas de amigos, ou nas redes sociais exibimos um amor incondicional pela nossa família, mas em casa nos recusamos a pegar um copo de água pro irmão.
Erramos quando queremos exercer ministérios, quando o nosso maior ministério que é a família, está desfocado, desdenhado, deixado.
Nosso maior e primeiro ministério a ser exercido é Família.

Se esse ministério não é bem sucedido, nenhum outro será.

01/04/16

CALDOS DA MORTE


Cuidado com a alimentação. Ela deve ser para VIVER e não para morrer

AJS



O tempero da Morte: Cubos de Veneno em Marcas Famosas.
Com este título parece até uma daquelas teorias malucas de Conspiração Global, mas de fato não é, pouquíssimas pessoas sabem mas os temperos artificiais com nome de "caldos" usados na cozinha do consumidor comum são responsáveis pela incidência crescente de “doenças silenciosas”. Por isso é de vital importância que as informações contidas neste artigo alcance o maior número de pessoas possível, estamos a salvar vidas aqui...

As marcas mais famosas deste "tempero" estão nos ouvidos e nas bocas de muita gente que não sabia (e talvez ainda não saiba) que todas as marcas famosas de caldo disponíveis nas prateleiras do mercado, tanto aqueles em cubos quanto em pó, conhecidos como "realçadores de sabor dos alimentos" , Todas elas contém glutamato monossódico.
Um componente químico, que está longe de ser inofensivo para a saúde publica, alem de ser uma droga altamente viciante, é responsável por causar diversas reações quando ingerida, como: enjoos, alergias da pele, vômitos, taquicardia, enxaquecas, arritmia cardíaca, tonturas e até depressão.
Usar temperos industrializados todos os dias pode causar sérios danos a saúde de quem os consome, pois o glutamato pode levar o sistema endócrino a produzir acetilcolina, substância que além de estimular a função muscular, reduz a absorção de glicose através dos neurônios.
Ao bloquear as funções neurológicas do hipotálamo, que ajudam a controlar o apetite, o glutamato nos induz a comer mais de que necessitamos e com o tempo os danos causados a saúde só tende a aumentar. O resultado pode ser de obesidade até Alzheimer.
O famoso "gostinho do amor" na comida que persiste no paladar dias depois de ingerido, demonstra com clareza a força do produto químico, que é usado em quase todos os pratos desse tipo de cozinha. Cubinhos de caldos de galinha, carne e legumes "da caixinha" são uma ameaça sorrateira à saúde de todos.
Um caldinho muito perigoso e ao mesmo tempo bastante desagradável.
Quer uma solução simples, barata e gostosa?

Congele ervas e temperos naturais imersos em azeite, óleo de coco ou manteiga em formas de gelo. Podem ser usadas com a mesma praticidade que os cubos venenosos que a indústria alimentícia química nos induz a comprar através de propagandas bem elaboradas e que, além de saudáveis, podem ter sabores totalmente individuais e serem até mesmo mais baratos que os maléficos cubinhos cheios de química altamente prejudiciais à nossa saúde.
Uma dica simples, fácil, saudável e barata que muitas das vezes podem trazer inúmeros benefícios para a nossa saúde e podem ser cultivadas em casa, como por exemplo o Alecrim, que auxilia no controle do diabetes, combate a obesidade, desintoxica o organismo, melhora a sua memória e reduz drasticamente as suas chances de sofrer com doenças como: Alzheimer, infarto e uma infinidade de outras como essas que se tornam cada vez mais comuns no nosso dia a dia.
Se você gostou de ler este artigo?, compartilhe com seus amigos.
Se você não gostou, compartilhe com seus inimigos.




17/03/16

MEDITAÇÃO


Nos dias agitados de hoje, é difícil se deixar levar pela carga de mau humor e estresse que pode desencadear doenças, a começar pelas psicológicas, como depressão. O antigo ditado em latim "Mens sana in corpore sano" ("Mente sã em corpo são") está mais do que certo, pois a nossa mente nos controla.
É por isso que a meditação tem ganhado cada vez mais notoriedade. É uma prática ancestral que requer autocontrole, foco e concentração. Vários pesquisadores e cientistas já comprovaram que a meditação faz muito bem à saúde, a começar pelos benefícios psicológicos que se estendem pelo organismo. Algumas escolas no Reino Unido adotaram a prática diária de meditação para alunos e professores, com resultados comprovados de menos estresse e mais concentração.
Quer saber o que a meditação pode fazer por você? Vamos mostrar aqui algumas das maravilhas que esta prática pode trazer para a sua vida.
Meditação faz bem para a saúde física e mental
Melhora a memória e o humor
Lidar com mau humor, tristeza e pensamentos negativos é muito difícil, principalmente em momentos da vida em que estamos passando por dificuldades. É por isso que muitos apelam para medicamentos ansiolíticos e antidepressivos para controlar essas emoções. Porém, já foi comprovado cientificamente que a prática regular de meditação ajuda a melhorar o humor, e também fortalece a memória.
Mais foco e menos pensamentos ruins
Muitas vezes a nossa mente está tão cheia de preocupações que não conseguimos nos concentrar nas tarefas do dia a dia, seja no trabalho ou até em atividades corriqueiras do dia a dia. A mente se torna viciada nesse tipo de pensamento, provocando distrações. A meditação é eficaz para acalmar os pensamentos. Ao meditar, o cérebro consegue processar os pensamentos mais devagar, com mais facilidade, ao invés daquele turbilhão de coisas que passam pela cabeça. A consequência é mais foco para fazer as suas tarefas. Pensamentos negativos, além de atrapalhar a sua vida, podem desencadear doenças como depressão, ansiedade e síndrome do pânico.
Aumenta massa cerebral
Sim, é isso mesmo! Estudos realizados pelas Universidade de Harvard, Yale e Massachusetts, nos Estados Unidos, afirmaram que a prática regular de meditação promove benefícios fisiológicos no cérebro, pois foi verificado que a meditação literalmente reconstrói a massa cinzenta do cérebro, tornando os tecidos cerebrais mais fortes e espessos.
A massa cinzenta tende a diminuir com o avanço da idade, portanto a meditação é um ótimo remédio para isso. Vale lembrar que esta parte do cérebro está associada ao sistema cognitivo e emocional. Portanto, após práticas regulares de meditação, a atuação do cérebro melhora de forma significativa. Esses mesmos estudos comprovaram que a massa cinzenta pode se recuperar em até oito semanas quando se medita!
Reduz a fadiga física e mental
Como foi dito aqui anteriormente, uma mente sã torna o corpo são. Muitas vezes a fadiga física começa no cérebro, por causa do excesso de preocupações e pensamentos. E é aí que entra a meditação. Além de relaxar, torna a mente mais alerta, pois a meditação faz um tipo de "limpeza" no cérebro. Foi comprovado que meditar logo de manhã torna a mente mais alerta e ativa do que tomar uma xícara de café. Por isso, antes do café da manhã, tente meditar por 10 ou 15 minutos. Você se sentirá mais relaxado, mais calmo e, o que é melhor, com mais energia para o dia.
Melhora dores físicas
Os benefícios da mente se estendem para o corpo. Estudos comprovaram que a prática de meditação diminuir dores crônicas em até 50%, pois em muitos casos as pessoas sente dores psicossomáticas, ou seja, associadas a doenças psíquicas. Dessa forma, quando a meditação age na mente tornando-a mais saudável, automaticamente as dores físicas diminuem. A meditação é até aprovada pela medicina, pois muitos médicos a recomendam para pacientes com doenças psíquicas e comportamentais.
Traz benefícios psíquicos
A meditação torna a mente mais calma e focada, aliviando estresse, ansiedade e pensamentos negativos. O resultado é uma mente mais limpa e clara, promovendo paz interior. Dessa forma, fica mais fácil enfrentar os desafios da vida e até entender a si mesmo, e assim conseguimos ver a vida de forma mais positiva e otimista. Caso esteja em um tratamento psiquiátrico, converse com seu médico a respeito da meditação.

 TEXTO DA INTERNET